04 maio 2015

Deixar

Deixar o vazio ser preenchido, arrumar o caos e por tudo no lugar aqui dentro. Essa é a meta pra vida. Permitir ser tocada tão a fundo, que desperte os sentimentos sufocados. Deixar que alguém analise a alma e saiba não só ler, mas interpretar o meu interior. É uma guerra sem fim, entre sentir ou não. 
Deixar o medo pra trás, a insegurança de que a história se repita e arriscar sempre mais uma vez. Quebrar, juntar os cacos e colar de novo. Suportar os baques da vida, e ir em frente. 
Deixar o passado passar, se abrir pro presente, para poder se entregar no futuro. Dar valor antes que tudo vire pó e o remorso nos acompanhe. 
Desejar alguém com todas as forças e se deixar ser fascinada pelo abismo da incerteza do destino. Deixar alguém abrir meu peito sem anestesia e tocar no meu coração. Provar para mim mesma, que todo mundo precisa ser amado pelo menos uma vez na vida. Ser ciente de que a vida é constante e passa rápido, e que apesar de ser clichê, porque deixar pra amanhã o que se pode falar e fazer hoje? Um segundo e tudo muda. 
O problema é que o ser humano é burro, sempre espera perder para dar valor e se dar conta da importância das coisas. Esquecem, que as vezes é necessário se afastar do papel, para poder enxergar o desenho com mais clareza. 
Certas coisas vem sem aviso prévio e nunca sabemos quando será a última vez. A única coisa que é certa, é que nunca teremos certeza se vamos ter outra oportunidade para falar tudo o que sentimos. Por isso vivo cada dia como se fosse o último, contemplo, analiso, memorizo e dou valor para cada segundo, porque eu sei que o amanhã é incerto e que a probabilidade das pessoas sumirem das nossas vidas é gigante. 
Se reerguer sempre e ter forças para continuar independente de tudo.

Bárbara Martins.