14 junho 2015

Pai

Saudades de te dar todos os beijos e abraços que eu não pude. Saudades de dizer "eu te amo" enquanto ainda havia tempo e eu tinha consciência do que essa frase significava. Saudades de tudo o que eu não vivi contigo. Saudades de ouvir o som da tua voz e de todos os beijos de boa noite. Saudades do teu olhar calmo e sereno, da tua completude, do teu carinho e cuidado comigo. Saudades de te sentir presente, te sentir por perto, sentir teu cheiro e o teu toque. 
Até a pouco tempo, eu não tinha noção da imensidão desse amor, não sabia o quanto isso significava e o tamanho da lacuna que ia se instalar em meu peito. Saudades de todos os momentos que eu não tive a oportunidade de viver contigo. É uma saudade que me tortura e me causa uma nostalgia angustiante. Já se vão 15 anos que tu partiu e me deixasse aqui, sem os teus conselhos, tua ajuda, teu apoio.. Ficar imaginando como teria sido a minha vida com a tua presença, não muda os fatos e nem te trás de volta. 
Ultimamente eu tenho sentido tanto a tua falta, que eu não consigo por em palavras e acaba saindo um texto assim, embaralhado e confuso, mas é que cada vez eu preciso mais de ti, pra me orientar nesse caminho que tu, melhor que ninguém conhecia como a palma da mão.. Fiz esse texto só para colocar pra fora, tudo o que estava me sufocando, sem frases elaboradas e palavras complicadas, não é pra ser um texto bem escrito ou bonito e sim sentido. Pai, eu vou te amar até o fim da minha vida e em todas as outras que eu tiver. Eu sinto tanto a tua falta, que agora mesmo eu consigo imaginar e quase sentir, tua mão no meu ombro, falando que tudo vai dar certo e tu vai ta sempre aqui.

Bárbara Martins.