10 agosto 2015

Quando eu dei uma segunda chance para o amor

Foram anos de trabalho árduo, em busca de uma maneira que me permitisse evitar sentir o amor. Foram noites sem dormir, tentando construir uma barreira para afastar à todos que ousassem se aproximar. Anos sem derramar uma lágrima de tristeza ou de alegria. Vivia na minha eterna "bolha", pois preferia me sentir vazia, do que correr o risco de ter o coração partido novamente. Só que nem sempre as coisas saem conforme o planejado. Eu não esperava que em uma noite, algumas cervejas e um sorriso depois, todo o meu trabalho iria por água à baixo. 
Não esperava que toda a minha vida fosse mudar de uma hora pra outra, o que eu senti naquela fração de segundo, onde a boca dele se abriu em um largo sorriso, eu não conseguiria explicar nem em um milhão de anos. O meu foco se direcionou todo pra ele, era como se ele fosse o meu ponto de gravidade, eu não conseguia controlar as batidas do meu coração e nem conseguia manter minhas pernas firmes. Na hora eu não senti paixão ou amor, mas eu sabia que aquele homem iria mudar toda a minha vida. Ele chegou como um furacão, invadindo tudo e mandando todas as minhas barreiras e armaduras para o espaço. Me olhou com outros olhos e fez eu ver a vida da maneira mais bonita que possa existir. Me ganhou no primeiro olhar e fez meu coração amolecer no primeiro beijo. Quando eu vi já era tarde demais e eu estava completamente apaixonada por aquele sorriso. Mesmo que tudo seja incerto, mesmo que todos os nossos planos não se concretizem, o que ele me proporciona é uma das maiores riquezas do mundo. Me permite ser eu mesma, me arranca sorrisos, aquece e acalenta o meu coração, me dá colo e desperta coisas maravilhosas em meu ser. Hoje eu aprendi a dar valor pro que realmente importa, hoje eu sei o quão é importante amar e isso ser recíproco, entendi que é fundamental sempre dar uma segunda chance pro amor, porque as vezes isso pode te surpreender positivamente. Aprendi que é melhor correr o risco de ter o coração partido, do que viver com medo de se entregar e ficar na indecisão se podia ou não dar certo. Hoje ele é uma parte de mim e aquilo que era escuridão foi invadido de luz.

Bárbara Martins.